All for Joomla All for Webmasters

A ORIGEM DA LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

As técnicas da Liberação Miofascial já eram utilizadas na Grécia Antiga como forma de recuperar a boa condição muscular dos atletas olímpicos, mas foi na Osteopatia nos EUA (Rubik, 1992 Apud Dixon, 2007) que ganhou o devido reconhecimento. O nome originou-se dos termos: mio= músculo + fáscia = tecido conjuntivo.

O QUE É A FÁSCIA?

Para você conhecer um pouco mais sobre a Liberação Miofascial, é interessante que conheça alguns conceitos sobre a fáscia. A fáscia é uma membrana pertencente do tecido conjuntivo, nervo e vasos sanguíneos espalhados por todo o nosso corpo, basicamente composta por elastina e colágeno, que está localizada logo abaixo da pele. Essa membrana permite o deslizamento perfeito dos músculos durante qualquer movimento, também é repleta de fibras nervosas ou “neurônios sensoriais” que também se responsabilizam pela resposta do músculo a um estímulo físico. Quando uma parte se move do corpo, ele responde como um todo, dessa forma existe as alterações que o corpo sofre para se adequar a esses estímulos, mais conhecidos como dor. A fáscia é responsável também é responsável por ajudar a manter a força muscular, auxiliando o músculo a exercer com eficácia a contração e o deslizamento com outro músculo, transmitindo, assim, tensões geradas pela atividade muscular e reduzindo a fricção.

O QUE É A LIBERAÇÃO MIOFASCIAL?

A Liberação Miofascial é um procedimento de relaxamento realizado através da massagem, muito recomendado por fisioterapeutas e massoterapeutas. Essa prática tem como sua principal técnica a aplicação de pressão em alguns pontos do corpo humano com o foco de liberar o músculo e o tecido conectivo que está presente em todo corpo. Envolvendo a manipulação dos tecidos musculares, a Liberação Miofascial tem como objetivo principal alterar a fáscia e desenvolver a elasticidade e flexibilidade perdidas dos músculos, eliminando possíveis dores crônicas ou não.

PARA QUEM É INDICADA A PRÁTICA DA LIBERAÇÃO MIOFASCIAL?

Essa técnica é indicada para quem possui algum fator que causa lesão muscular, e consequentemente, o enfraquecimento da fáscia. O corpo humano é 70% líquido, o que já indica a probabilidade de mutação. Portanto, o uso incorreto da musculatura, maus hábitos de postura, treinos intensos, estresses, problemas emocionais, entre outros, são os principais causadores de pressão nos nervos e nos músculos. Essa pressão forma nódulos, que são chamados de pontos gatilhos ou “trigger points”. Esses pontos acumulam toxinas, resultando quase sempre em dor e dificuldade na execução dos movimentos que podem se agravar e tornarem-se problemas maiores ou crônicos. Os pontos de gatilho prejudicam o bom funcionamento do sistema musculoesquelético e da coordenação motora. Além disso, possibilitam a redução da força muscular e da flexibilidade, tendo como prejuízo treinos ruins e desconfortos em geral.

A Liberação Miofascial é muito recomendada para as pessoas com as profissões que exigem o posicionamento incorreto da musculatura do dia a dia, geralmente são aquelas que demandam a mesma posição, como por exemplo, quem trabalha muito tempo em pé ou sentado. Dentistas, manicures, médicos e engenheiros, podem realizar a Liberação Miofascial como fonte de tratamento para a eliminação das dores recorrentes de sua postura ou como forma de prevenção de futuros desconfortos.

Essa técnica também apresenta grandes benefícios que são essenciais na vida de um atleta. Quem pratica com frequência algum tipo de atividade física como, natação, corrida, vôlei, jiu jitsu, crossfit, entre outros, é de grande importância que faça uso de algum tipo de massagem. Além de contribuir positivamente para o fortalecimento no resultado dos exercícios físicos, também é essencial para diminuição de desconfortos e possíveis dores.

COMO FUNCIONA A APLICAÇÃO DA LIBERAÇÃO MIOFASCIAL?

A Liberação Miofascial pode ser executada de várias formas diferentes, variando o músculo massageado, a intensidade da massagem e os acessórios utilizados. É importante salientar ao massoterapeuta qual a lesão a ser tratada e qual o objetivo do tratamento, para que o profissional que aplicará a massagem possa escolher a opção mais adequada para o caso.

Evolvendo o uso de técnicas como fricção, deslizamento, compreensão, alongamento, percussão e vibração, a Liberação Miofascial pode ser realizada manualmente com as mãos e cotovelos. Com o auxílio de aparelhos específicos para a prática ou adaptados, como por exemplo, ventosas e raspadores, também é possível executar a técnica. Esses aparelhos permitem um deslizamento fácil e confortável sobre a musculatura.

Alguns fatores são avaliados pelo massoterapeuta para a decidir entre a manipulação manual e a com instrumentos. Conversando com o paciente é possível revelar qual a profundidade dos tecidos a serem alcançados com a massagem e quais as ferramentas ideais para que haja uma reparação ideal. A Liberação Miofascial manual geralmente atinge os tecidos mais superficiais, enquanto a utilização das ferramentas, permitem o alcance de tecidos mais profundos. Em muitos casos o conjunto dos dois tipos de manipulações, manual e instrumental, alcançam grandes resultados.

Conheça um pouco mais sobre instrumentos utilizados:

Ventosas: Tem o formato de copos, podendo ser de diferentes materiais, como, vidro, pvc ou bambu. Essa ferramenta é utilizada para realizar a tração, também chama de sucção, na região corporal que está recebendo o tratamento. Tem como objetivo quebrar as aderências teciduais proporcionando o benefício do aumento da circulação sanguínea e a mobilidade dos tecidos na região massageada.

Raspadores: Fabricados na maioria das vezes com aço inox ou poliuterano, os ganchos possuem uma curvatura que possibilita um contato maior da ferramenta com a pele, facilitando a realização de massagens compressivas. Os raspadores possuem o objetivo de reduzir as dores locais, melhorando a circulação e alinhando as estruturas massageadas.

A Liberação Miofascial pode ser aplicada antes de treinos, que resultam no aumento da mobilidade articular, liberação e ativação dos músculos e preparação da musculatura que será trabalhada. Como, também, feita após os treinos, ajudando na liberação do ácido lático que previne lesões e evita dores tardias, permitindo que o músculo massageado tenha a possibilidade de obter novamente o movimento completo.

Para algumas pessoas, realizar a Liberação Miofascial antes das atividades físicas potencializa a prática do exercício. Outros indivíduos observam melhores resultados quando a técnica é executada após os treinos, segundo eles, sentem uma potencialização nos efeitos dos exercícios pelo fato da técnica melhorar a circulação sanguínea e o relaxamento muscular.

  1. Pré-treino: É recomendado a Liberação Miofascial antes da atividade física por ela possuir a capacidade de ampliar o raio de ação dos músculos e permitir que tenham uma maior mobilidade. Quando aplicada antes do treino, essa técnica também prepara o músculo para receber uma carga de exercícios maior, facilitando a execução dos exercícios, evitando lesões, entre outros benefícios.
  2. Pós-treino: A técnica é ideal no pós-treino para quem pretende evitar futuras dores musculares, pois a liberação do ácido lático ocorre nesse momento. Tem como objetivo diminuir as tensões musculares que ocorrem no treino, proporcionando uma sensação agradável de relaxamento, eliminando as toxinas e evitando possíveis câimbras e desconfortos. Além disso, facilita a circulação dos nutrientes ingeridos na corrente sanguínea.

QUAIS OS BENEFÍCIOS QUE A LIBERAÇÃO MIOFASCIAL PROPORCIONA?

Lembrando que não há necessidade da prática de exercícios físicos para a aplicação da Liberação Miofascial. Para executá-la basta necessitar de um ou mais benefícios proporcionados por esse procedimento. Não existe horário específico para que a Liberação Miofascial seja executada, os benefícios serão os mesmos, como, por exemplo: aumentar a mobilidade articular, favorecer a execução dos movimentos durante os exercícios, devolver a força muscular, eliminar a dor local, trazer de volta os movimentos naturais das articulações, curar lesões e sequelas, diminuir a sobrecarga e tensão músculo articular, liberar e ativar os músculos, preparar a musculatura que vai ser trabalhada nos exercícios, melhorar a circulação sanguínea e a respiração, proporcionar mudanças progressivas nos níveis físicos e emocionais, aumentar a consciência corporal, relaxar a musculatura, ajudar na liberação do ácido lático, auxiliar na diminuição das tensões musculares, ajudar na recuperação dos músculos, evitar possíveis dores tardias, prevenir as lesões e aumentar a mobilidade articular. Enfim, a prática da Liberação Miofascial devolverá a saúde dos seus músculos e irá proporcionar bem-estar de uma forma geral.

É possível estabelecer um aumento na saúde física, mental e na harmonia dos movimentos com a aplicação frequente da Liberação Miofascial, pois os procedimentos dessa prática melhoram a qualidade de vida interferindo de forma positiva no relaxamento dos músculos corporais. Cientificamente, o fenômeno histerese permite que tudo isso ocorra, pois sinaliza a capacidade de certos corpos de conservar o resultado dos estímulos, mesmo quando este não está mais sendo aplicado. Sendo assim, a Liberação Miofascial fornece benefícios por um prazo excedente ao do procedimento, não somente no momento em que a prática está sendo executada.